Home » » 200 ANOS DE NOSSA HISTÓRIA 1704 – 1904. Por Udenilson Silva Silveira*

200 ANOS DE NOSSA HISTÓRIA 1704 – 1904. Por Udenilson Silva Silveira*

Abordaremos diversos fatos importantes da História Picuiense, quase todos provados por escrito. Viajem por datas e fatos importantes.

- Dia 26 de dezembro de 1704: Sesmarias da Capitania da Parahyba
Riacho do Pucuhy - Sesmaria nº 48 em 26 de dezembro de 1704 e Rio Cahã - Sesmaria nº 48 em 26 de dezembro de 1704.
D. lzabel da Camara, Capitão Antonio de Mendonça Machado, Alferes Pedro de Mendonça e Vasconcellos e Antonio de Carvalho, dizem que possuindo gados sem ter terras para os crear, descobriram no sertão desta capitania um riacho chamado pela lingua do gentio Pucuhy, em terras devolutas e nunca dadas a pessoa alguma; por isto pediam tres legoas de comprimento e uma de largura cada um no dito riacho, o qual corre do sul para o norte e faz barra no Cahã, que dá no Piranhas e nasce na serra Borburema, começando a dita terra no primeiro poço grande do dito riacho por elle abaixo, ficando em meio dita terra. Foram concedidas tres legoas de terras a cada um, no governo de Fernando de Barros e Vasconcellos.

(TAVARES, João de Lyra. Apontamentos para a História Territorial da Parahyba. 1910. Edição Fac-similar. In Coleção Mossoroense. Vol. CCXLV, 1982.).
- 11 de outubro de 1841: Lei nº 3, Criação do Juizado de Paz. (Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, IBGE, p. 331. 1956).
- 1856: Epidemia de cólera-morbo (Cholera-morbus), promessa a São Sebastião e início da construção da Capela. (OLIVEIRA, Abílio César de. Município de Picuí. Esboço Histórico. Tipografia: Santa Teresinha. Natal, 1963. p.13).
José Ferreira de Macêdo (foi quem fez a promessa - apoiado pelos demais habitantes - em 1856. Clamaram a Deus, por intermédio de São Sebastião, protetor contra peste, fome e guerra, para que se o mal acabasse seria construída uma capela em louvor a Deus e ao Santo Protetor. Por milagre, a epidemia, mal incontrolado pelas forças humanas foi combatido e vencido pela fé do povo e pela força divina. José Ferreira de Macêdo teve a iniciativa da construção da Capela, até a sua conclusão, apoiado pelo povo. Ele era filho de Antônio Ferreira de Macêdo e Teresa Maria da Conceição Macedo. Um dos seus irmãos, Estevão José Ferreira de Macedo (Estevão José da Rocha)¸ foi agraciado pela Princesa Isabel em 1871, com o Título de Barão de Araruna (Personagem que foi retratado na novela da Rede Globo: Sinhá Moça, 1986). O outro irmão era Vicente Ferreira de Macedo (o primeiro conhecido na nossa história.) Anos depois tivemos outro importante Vicente Ferreira de Macêdo (minerador) foi o Marido de irmã Claudina.

Antônio Ferreira de Macedo (Pai) casou com Ana de Arruda Câmara Ferreira de Macedo pais de Antônio Ferreira de Macedo (filho) casou com Teresa Maria da Conceição Macedo e teve três filhos (José, o da promessa, Vicente e o futuro Barão de Araruna).
Ainda em 1856: Antônio Ferreira de Macedo (filho), pai de José Ferreira de Macedo: Escreveu uma Carta a Dom João da Purificação, Bispo de Olinda, solicitando a permissão para benzimento da “pedra fundamental” da Capelinha de São Sebastião, o Padre visitador Francisco de Holanda Chacon, esteve nestas terras em 15 de outubro de 1856.
- 3 de setembro de 1857: Celebração da 1º Missa na Capela de São Sebastião da Freguesia da Serra de Cuité. Por petição de Antônio Ferreira de Macêdo e outros, realizada pelo Vigário visitador Francisco de Holanda Chacon. (Livro de Tombo I, fol. 31, Paróquia de São Sebastião, Picuí – PB.
- 16 agosto de 1860: Doação de terras ao Patrimônio do Glorioso São Sebastião. (Livro de Tombo I, folha 30, da Paróquia de São Sebastião, Picuí – PB).
- 22 de agosto de 1862: Doação de terras para Patrimônio do Glorioso São Sebastião. (Livro tombo I, fol. 30v e 31, PSS, Picuí – PB).
- 16 de julho de 1869: Leopoldo Ignácio de Vasconcellos Barreto, por remoção, professor público da cadeira de ensino primário em Picuhy (Edição de O Publicador, 30 de julho de 1869).
- 17 de Outubro de 1870: Certidão da aceitação do Patrimônio da Capela de São Sebastião e autorização. (Livro de Tombo I, folhas 32, da Paróquia de São Sebastião, Picuí – PB).
Lei nº 440, 18-12-1871. Criação da Freguesia São Sebastião. Povoação do Triumpho- 18 de dezembro de 1871: Lei n º Lei nº 440. Criação da Freguesia de São Sebastião e denominação da Povoação de Triumpho. (Livro de Tombo I, folha 1, da Paróquia de São Sebastião, Picuí – PB). Imagem ao Lado
- 28 de Setembro de 1874: Lei nº 565: Limites das Freguesias do Picuhy e Cuité. (Livro de Tombo I, folha 22v , da Paróquia de São Sebastião, Picuí – PB).
- 26 de novembro de 1874: Lei Provincial nº 597, Criação do Distrito de Paz de São Sebastião do Triumpho. (OLIVEIRA, Abílio César de. Município de Picuí. Esboço Histórico. Tipografia: Santa Teresinha. Natal, 1963. p.21).

- 1877: Grande seca no Nordeste. Acreditasse que nos anos de 1877 e 1878 aproximadamente 500 mil nordeste teriam morrido por causa do fenômeno da seca. Os Párocos das Paróquias de Nossa Senhora das Mercês de Cuité, Padre José do Coração de Maria de Castro, e de São Sebastião de Picuí, Padre Manuel Franklin de Sousa, mantiveram contato por cartas e decidiram fazer uma procissão de encontro com os Santos Padroeiros e no local do encontro os Santos seriam trocados e assim, Deus poderia ter misericórdia do povo e a chuva poderia cair abundancia e acabar com a grande seca. A procissão aconteceu, mas na hora da hora da troca dos Santos houve uma grande confusão e briga, a troca dos Padroeiros não aconteceu, os devotos retornaram para as suas cidades e dizem que os Padre teriam ficados intrigados. Este seria um dos fatos que explicaria a “competição e rixa entre as cidades”. (OLIVEIRA, Abílio César de. Município de Picuí. Esboço Histórico. Tipografia: Santa Teresinha. Natal, 1963. p.84).
- 7 de dezembro de 1883: Lei nº 759, Autorizada construção de estrada de ferro de Bananeiras para Picuhy (Edição de O liberal Parahybano, 18 de fevereiro de 1884).
- 22 de setembro de 1884: Existe 1º Juiz de paz de São Sebastião do Triumpho (Edição: O Liberal Parahybano, 22 setembro de 1884).
- 16 de setembro de 1888: Decreto Regulamentar nº 1.886: Criação do Cartório de Registro Civil. (OLIVEIRA, Abílio César de. Município de Picuí. Esboço Histórico. Tipografia: Santa Teresinha. Natal, 1963. p.61).

- 22 de setembro de 1888: Plano da estrada de ferro para Picuhy (Gazeta da Parahyba, ed. 22 de setembro de 1888).
- 27 de Novembro de 1888: Lei Provincial nº 876, Povoação de São Sebastião do Triumpho elevada à Villa do Picuhy. (Livro de Tombo I, folha 3, da Paróquia de São Sebastião, Picuí – PB. E Jornal da Parahyba, 1888; Jornal da Parahyba, ed. 13 de março de 1889). Imagem ao lado
- 16 de setembro de 1888: Decreto Regulamentar nº 1.886 criação do Cartório do Registro Civil de Casamentos, nascimentos e óbitos. (OLIVEIRA, Abílio César de. Município de Picuí. Esboço Histórico. Tipografia: Santa Teresinha. Natal, 1963. p.61).
- 1889: Agências de Correio e Telégrafos. (OLIVEIRA, Abílio César de. Município de Picuí. Esboço Histórico. Tipografia: Santa Teresinha. Natal, 1963. p.62).
- 3 de março de 1889: Eleição para vereadores da Villa do Picuhy (Jornal da Parahyba, edição de 18 de março de 1889).
- 22 de Abril de 1889: Posse dos vereadores da nova Vila do Picuhy. (Edição do Jornal da Parahyba, maio de 1889).
- 16 de setembro de 1889: Traição política e eleitoral de Cuité contra Picuhy. (Gazeta da Parahyba).

- 3 de agosto de 1891: Conselho de Intendência Municipal da Villa do Picuhy recebeu Ofício. (Edição O Estado da Parahyba, agosto de 1891).
- 7 de janeiro de 1892: Nomeação do Conselho de Intendência do Município de Picuhy. (Edição: O Parahybano, Órgão do Povo, 12 de Janeiro de 1892).
- 22 de fevereiro de 1895: Correios do Estado receberão propostas para serviços de Linhas Postais da Capital à Picuhy. (Jornal A União).
- 29 de setembro de 1897: Decreto nº 100, Cria a Mesa de Rendas Estaduais em Picuhy, Atual Coletoria Estadual. (Edição do Jornal A União, Anno VI, Nº 1335, de 28 de maio de 1898; OLIVEIRA, Abílio César de. Município de Picuí. Esboço Histórico. Tipografia: Santa Teresinha. Natal, 1963. p.62).
- 1899: Picuhy possui freguezia e Julgados de Paz pertence ao Município de Cuité e Termo de Bananeiras (Edição Almanaque do Estado da Parahyba, 1899, p. 288).
- 1899: Povoação de Picuhy pertence ao Município de Cuité e Termo de Bananeiras (Edição Almanaque do Estado da Parahyba, 1899, p. 295).
- 9 de março de 1899: Relatório (conclusão) do Francês Julio Destord sobre as Minas do Picuhy (A União, 17 de março de 1899).
Entre 1899 e 1903 não temos registrados dados importantes, amanhã dia 9 de março de 2016, abordaremos os fatos que aconteceram no de 1904 e alguns posteriores.

*Graduado em Letras e Direito pela UEPB, pós-graduado em Direito Trabalhista FURNE/UNINTER.

Empregado Público Estadual e Advogado.
Compartilhe: :

1 comentários:

João Felipe da Trindade disse...

Onde encontro esse livro de Abílio César?

Postar um comentário