Home » » TCE julga regulares as contas do consórcio intermunicipal de saúde do Curimataú e Seridó da Paraíba.

TCE julga regulares as contas do consórcio intermunicipal de saúde do Curimataú e Seridó da Paraíba.


A 1ª Câmara do Tribunal de Contas da Paraíba, em sessão ordinária na manhã desta quinta-feira (17), julgou regulares as prestações de contas do consórcio Intermunicipal de Saúde do Curimataú e Seridó (2013), que reúne 15 municípios na região, bem como dos institutos de previdência dos servidores de São Sebastião de Lagoa de Roça – em dois exercícios, e Remígio. As contas do Fundo Municipal de Saúde de Água Branca também foram consideradas regulares.

Fazem parte do consórcio as prefeituras de Algodão de Jandaíra-PB; Baraúna-PB; Barra de Santa Rosa-PB; Coronel Ezequiel-RN; Cubati-PB; Cuité-PB; Damião-PB; Frei Martinho-PB; Jaçanã-RN; Nova Floresta-PB; Nova Palmeira-PB; Pedra Lavrada-PB; Picuí-PB; Sossego-PB; e São Vicente do Seridó-PB.

O Plenário da Câmara apreciou e decidiu pela regularidade de processos licitatório realizados pelas prefeituras de Cuité (07183/12), Casserengue (16232/13), São Bento (02591/15) e Pedras de Fogo (11812/13), além de denúncias e inspeções em obras públicas, a exemplo do processo da Câmara Municipal de Pedro Régis, que será obrigada a instaurar o processo legislativo visando criar os requisitos básicos de provimento para os cargos efetivos, bem como ficar o valor exato da GAE, para cada um.

Os consórcios intermunicipais de saúde foram iniciativas para racionalizar os serviços de saúde nas regiões, permitindo unidades melhores equipadas para atender as prefeituras credenciadas. Fazem parte do consórcio as prefeituras de Algodão de Jandaíra-PB; Baraúna-PB; Barra de Santa Rosa-PB; Coronel Ezequiel-RN; Cubati-PB; Cuité-PB; Damião-PB; Frei Martinho-PB; Jaçanã-RN; Nova Floresta-PB; Nova Palmeira-PB; Pedra Lavrada-PB; Picui-PB; Sossego-PB; e São Vicente do Seridó-PB.

As regras de gestão administrativa e financeira para os consórcios foram fixadas no estatuto social e a previsão do art. 22 estabelecia que a assembleia fixasse a cota anual de contribuição dos municípios integrantes. Com o advento da Lei 11.107 de 06 de abril de 2005, regulamentada pelo Decreto nº 6.017, de 17 de janeiro de2007, foram fixadas as normas para constituição dos consórcios públicos e os atos necessários para adequação dos já existentes.

A 1ª Câmara do Tribunal de Contas da Paraíba é presidida pelo conselheiro Fábio Túlio Nogueira e realizou sua 2.648ª sessão ordinária. Foram agendados 293 processos. Participaram dos julgamentos os conselheiros Fernando Rodrigues Catão e Antônio Gomes Vieira Filho (substituto). Pelo Ministério Público de Contas atuou o procurador Luciano Andrade Farias.



Com ascom/TCE
Compartilhe: :

0 comentários:

Postar um comentário