Home » » Amostra detecta água contaminada no boqueirão e doenças aumentam 400%.

Amostra detecta água contaminada no boqueirão e doenças aumentam 400%.


A secretária de Saúde de Campina Grande, Luzia Pinto, disse ontem que 72 amostras de água coletadas em torneiras das zonas urbana e rural de Campina Grande estavam insatisfatórias para consumo. “Informamos a Cagepa que a água que ela distribui pode estar contaminada, encaminhamos essas amostras para eles nos darem a contraprova e não tivemos resposta alguma. As Unidades de Pronto Atendimentos (UPAs) já registram um aumento de 400% no número de pacientes em função de doenças bacterianas. Precisamos agir rápido”, avaliou a secretária. Professores da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) se reuniram em Campina Grande, juntamente com gestores públicos, com o intuito de discutir o risco de contaminação da água do reservatório Epitácio Pessoa (Boqueirão), no quinto ano de estiagem.

O objetivo era traçar um plano de ação para evitar que as cianobactérias atinjam valores que impossibilite a distribuição da água através da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) à Campina Grande e mais 19 cidades. Um novo encontro ficou marcado para o dia 9, às 14h, no Ministério Público.

“A proposta é chamar a atenção das autoridades e alertar a população pra o momento crítico que estamos vivendo. Convidamos a ANA (Agência Nacional de Águas), Aesa, Cagepa, Defesa Civil, OAB, 19 prefeitos e câmaras e mesmo assim nem a agência nem a Cagepa estiveram presentes. De prefeito, só Romero, gestor de Campina Grande”, avaliou o vereador Lula Cabral. De acordo com o parlamentar se faz necessário que o problema seja avaliado além de conotações político-partidárias.

Culpa da ação do homem

"As cianobactérias são provenientes do lixo e dos dejetos nos mananciais. E matam. O que tem que se evitar é a explosão das células que as transforma em toxina, e quando isso acontece, não adianta ferver a água, ataca severamente a saúde humana. Apresentei várias alternativas, entre elas a técnica para diluir a concentração de cianobactérias, através do processo de membranas”.

Kepler França, coordenador do Labdes da UFPB.



Correio da Paraíba
Compartilhe: :

0 comentários:

Postar um comentário