Home » » Após declarações de secretário, agentes penitenciários marcam data de greve.

Após declarações de secretário, agentes penitenciários marcam data de greve.


Se os agentes penitenciários da Paraíba já planejavam entrar em greve, o pavio foi definitivamente aceso após as declarações do secretário Luís Torres (comunicação institucional). Em áudio vazado na internet, o auxiliar do governo afirma que a orientação do governador Ricardo Coutinho (PSB) é 'ir para o pau' com os servidores que participarem de paralisações. Mesmo sob ameaça, a categoria pretender deflagar a greve na próxima quarta-feira (8).

No áudio, possivelmente direcionado à jornalistas do staff governista, Torres orienta o grupo a como direcionar matérias que demonstrem a intransigência do governo com a possibilidade de greve. A estratégia do secretário era mandar um recado aos agentes penitenciários de que o governo estadual não vai “baixar as calças” como fizeram os governadores Camilo Santana (PT-CE) e Renan Filho (PMDB-AL), que concederam reajuste após as mobilizações.

Para isso, Torres recomenda que seja dado destaque às declarações feitas pelo governador Ricardo Coutinho em seu programa oficial “Fala Governador”, na Rádio Tabajara. Segundo ele, o chefe do executivo deixou bem claro ao dizer: “ei, menino, aqui né igual ao Ceará, não. Se fizer (paralisação) vai pro pau. Eu demito, eu boto pra fora, eu puno, o c***… repito, o objetivo é desestimular qualquer movimentozinho dos enxeridos daqui, pensando que a Paraíba é igual ao Ceará…”, conclui. 

Em todo Estado, representações locais já se mobilizam pela deflagração da greve após as declarações do secretário. Segundo o presidente da Associação de Agentes Penitenciários da Paraíba, Marcelo Gervásio, alguns agentes já estarão em estado de greve e outros devem parar a partir da sexta-feira (3). “A adesão tem sido em massa, principalmente após as declarações desse secretário”, disse.

Marcelo Gervásio classificou as declarações do secretário como infelizes. “ É um descaso esse tipo de expediente, quando a gente já vem buscando um diálogo por muito tempo e nem sequer fomos atendidos pelo secretário da pasta. Sabemos a essencialidade do nosso trabalho, o que implica para a sociedade, mas infelizmente a categoria é composta por homens e as pessoas quando se sentem desprestigiadas complica a situação”, afirmou.

Luís Torres se defendeu, afirmando que o conceito geral posto no diálogo está mantido. “O meu trabalho diário como secretario ao lado das ações de governo é estabelecer, discutir e propor conceito que sirvam para posicionar o governo nos debates públicos que ele trava, antecipando inclusive as crises internas e externas que a administração estadual vá enfrentar”, disse. O secretário lembrou, ainda, que ao longo dos cincos anos da gestão de Coutinho, os agentes penitenciários acumularam um reajuste de 55%.

Ouça o áudio do secretário e a repercussão do caso no Blog de Suetoni.



JPOnline
Compartilhe: :

0 comentários:

Postar um comentário