Home » » Lista dos 611 gestores que tiveram contas rejeitadas pelo TCE será entregue pelo PGJ aos promotores eleitorais de todo o estado.

Lista dos 611 gestores que tiveram contas rejeitadas pelo TCE será entregue pelo PGJ aos promotores eleitorais de todo o estado.

Entrega da lista do TCE
Para que os promotores eleitorais comecem a preparar as ações de impugnações de candidaturas relativas ao processo eleitoral de outubro deste ano, o procurador-geral de Justiça do Ministério Público da Paraíba (MPPB), Bertrand de Araújo Asfora, anunciou na manhã desta terça-feira (28) que, na semana que vem, começa a entregar pessoalmente a todos os promotores eleitorais do estado a lista dos 611 gestores paraibanos que tiveram as contas rejeitadas nos últimos oito anos pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE).

“Estamos agendando em todas as regiões do estado. Vamos entregar a lista pessoalmente a todos os promotores eleitorais, para que eles possam, tomando conhecimento, formar um juízo de valor e interpor as ações cabíveis no prazo da legislação eleitoral”, informou o procurador-geral Bertrand Asfora, após receber a lista das mãos do presidente do TCE paraibano, conselheiro Arthur Cunha Lima. “Toda a próxima semana, vamos viajar a Paraíba inteira”.

Os gestores que tiveram as contas rejeitadas nos últimos oito anos correm o risco de ter a candidatura impugnada pela Justiça Eleitoral, caso decidam disputar o pleito deste ano. “É um momento importante para o país. Precisamos passar este país a limpo. E esta eleição é uma grande oportunidade que a cidadania tem: de votar certo, de votar limpo, com sua consciência. O Brasil precisa, através do nosso eleitorado, do nosso povo, da nossa cidadania, transformar a realidade brasileira. Um voto em favor do nosso país, do nosso estado, da nossa cidade”, destacou Bertrand Asfora.

“E também vamos trabalhar numa campanha pela conscientização do voto. A importância do voto compromissado com o futuro e não compromissado apenas com interesses outros que não atendam à demanda da Constituição e da legislação infraconstitucional”, adiantou Bertrand Asgora, acrescentando: “É importante valorizar e valorar a atuação de cada promotor eleitoral do estado, que são os órgãos executores no caso específico, com o apoio integral e absoluto da Procuradoria Geral de Justiça”.

Já o conselheiro Arthur Cunha Lima enalteceu o apoio, as parcerias e o papel do Ministério Público da Paraíba: “O Ministério Público é o guardião da sociedade, que promoverá as ações para que esses maus gestores não permaneçam na vida pública.



Redação com Ascom/MPPB
Compartilhe: :

0 comentários:

Postar um comentário