Home » » 'Nasceu de novo', diz pai do garoto que teve galho alojado no peito no PI.

'Nasceu de novo', diz pai do garoto que teve galho alojado no peito no PI.


O quadro de saúde do garoto de oito anos que teve um galho de árvore atravessado no peito é estável. Após passar por cirurgia no Hospital de Urgência de Teresina (HUT), o pai Ibiatan Dias, disse que o filho "nasceu de novo". Foram quase 20 horas de espera até realizar a cirurgia. A criança saiu de Santa Filomena, Sul do Piauí, à capital com os pais em uma ambulância. Segundo equipe média, o procedimento envolvia uma série de riscos.

Pai mostra estaca que ficou alojada no corpo do filho
"Estou muito feliz que meu filho conseguiu escapar. Minha esposa se desesperou e eu também. Viemos para Teresina sem roupa, pois não tive tempo. Para mim, meu filho nasceu de novo", disse o pai do garoto, Ibiatan Dias.

O garoto viajou de ambulância de Santa Filomena à capital por 12 horas, com galho ainda alojado no peito, que atravessou o ombro. Ao chegar ao HUT ainda esperou cerca de seis horas para realizar a cirurgia, que durou cerca de duas horas e realizada na terça-feira (21).

De acordo com o cirurgião geral Rogério Medeiros o procedimento envolvia uma série de riscos de lesão fatal. Para o especialista, o garoto foi, praticamente, um herói por toda a espera. "Ele nasceu de novo, por várias vezes”, disse.

"Um galho de árvore penetrar no tórax, a menos de um centímetro do pulmão e a menos de um centímetro de vasos que são essenciais para a vida e que uma lesão destes seriam fatais. Ele nasceu de novo por várias vezes", acrescentou Rogério Medeiros, médico responsável pela retirada da estaca do peito do garoto.

Familiares relataram à direção do HUT que o menino brincava com seus amigos quando caiu de uma árvore e um dos galhos quebrou atravessando o seu peito. O acidente aconteceu  no final da tarde de segunda-feira (20). Apesar da gravidade, a direção do hospital garantiu que o garoto não terá sequelas e que o corte não afetou nenhum órgão.



G1
Compartilhe: :

0 comentários:

Postar um comentário