Home » » Com 17 licenças, Assembleia vira palco para a “farra das suplências”.

Com 17 licenças, Assembleia vira palco para a “farra das suplências”.


Você saberia dizer como anda o Ibope dos políticos? Eles, pelo menos, admitem que não é bom, embora sempre achem que a culpa é dos outros. Certamente será necessário que o eleitor “desenhe” na urna eletrônica para explicar que o problema é conjuntural. Vamos a um caso gritante: ao cabo desta semana, o número de deputados estaduais licenciados chegará a 17 desde que a atual legislatura foi iniciada, há 17 meses. Daria um por mês. E o pior é que foram poucos os que se afastaram para o tratamento de saúde. A maioria absoluta deixou o mandato para dar lugar a aliados, dentro das, muitas vezes, pouco republicanas articulações políticas. Um exemplo mais recente é a operação para que Guilherme Almeida, suplente da coligação PSC-PSD, volte à Assembleia Legislativa. Ao todo, três pessoas deverão se licenciar para garantir a posse dele.

Vamos à novela: primeiro Manoel Ludgério (PSC), dono de 50.107 votos, tira licença do cargo para assumir, nesta segunda-feira (11), a chefia de Gabinete do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB). O tucano quer contemplar o aliado Guilherme Almeida, que é o terceiro suplente na coligação. Para isso, o segundo suplente, Carlos Batinga (PSC), atual superintendente da Semob, em João Pessoa, será convocado para assumir o mandato. Depois de empossado, ele vai protocolar o pedido de licença na Casa. Não para por aí. A Assembleia Legislativa, então, convocará Eva Gouveia (PSD) para o cargo. Só que ela atualmente ocupa o posto de secretária da Assistência Social de Campina Grande. Ela, então, será empossada e também entrará com o pedido de licença.

Com a saída do Eva Gouveia, a Assembleia Legislativa convoca Guilherme Almeida, dono de 17.341 votos nas eleições de 2014. Ele será membro informal da bancada mais numerosa da Casa, a dos suplentes, que passará a contar com nove deputados. Me parece faltar coerência da classe política, principalmente porque a vontade do eleitor não está sendo respeitada, apesar da boa passagem de Almeida pelo Legislativo estadual no passado. O fato é que em uma Casa com 36 vagas, nove estarão ocupadas por suplentes, a maioria por motivos meramente político-eleitorais. Há de se convir que as posturas republicadas cantadas e decantadas pela classe política passa longe da Assembleia Legislativa.

Confira os suplentes que já tomaram posse e quem saiu para dar lugar a eles:

Antônio Mineral (PSDB) ­ Na vaga de Branco Mendes e Ricardo Marcelo

Arthur Cunha Lima (PRTB) ­ Jeová Campos, Buba Germano

Charles Camaraense (PSL) ­ Na vaga de Tião Gomes

Emano Santos (PTN) ­ Nas vagas de Janduhy Carneiro, Genival Matias e Inácio Falcão

Hervázio Bezerra (PSB) ­ Na vaga de Lindolfo Pires

Jullys Roberto (PEN) ­ Na vaga de Doda de Tião, José Aldemir e Tovar

Olenka Maranhão (PMDB) ­ Na vaga de Trocolli Júnior

Raoni Mendes (DEM) ­ Na vaga de Ricardo Barbosa



Blog do Suetoni
Compartilhe: :

0 comentários:

Postar um comentário