Home » » Quadrilha usou de pregos a munição antiaérea durante mega-assalto em SP.

Quadrilha usou de pregos a munição antiaérea durante mega-assalto em SP.


Suspeitos explodiram prédio e atiraram contra policiais em Ribeirão Preto. Grupo estava armado com fuzil capaz de derrubar avião de guerra, diz PM.

Pregos para conter a aproximação de viaturas da Polícia Militar (PM) e fuzis capazes de derrubar aviões de guerra foram usados durante o mega-assalto a uma empresa de segurança e transporte de valores em Ribeirão Preto (SP), nesta terça-feira (5).

A ação na Avenida da Saudade continuou pelo bairro Campos Elíseos e trocas de tiros foram registradas em diversas partes da zona norte, onde os policiais faziam patrulhamento. O tiroteio durou cerca de 40 minutos. Na fuga pela Rodovia Anhanguera, os suspeitos atiraram e mataram um policial militar.

A Polícia Civil ainda não se pronunciou sobre o crime e a Polícia Militar ainda faz diligências para ajudar na apuração do caso. Ninguém foi preso até a tarde desta terça-feira.


Em nota, a empresa Prosegur, alvo dos assaltantes, informou que nenhum funcionário foi ferido no assalto "e que está à disposição das autoridades e colaborando para o andamento das investigações". Ainda não há informações sobre o que foi roubado pelos suspeitos.

Segundo os moradores do bairro Campos Elíseos, pelo menos 20 homens participaram da ação e chegaram ao local por volta das 4h30 em dez veículos. Vídeo gravado por vizinhos registrou o tiroteio dos assaltantes e o momento da explosão da empresa.

De acordo com as primeiras informações dos policiais, o grupo estava fortemente armado. "Eram diversos calibres, desde pistolas até fuzis 556, 762, ponto 50, que é munição antiaérea, então eles estavam bem equipados", disse o tenente Tiago Pedroso.

Além do armamento de guerra, eles usaram explosivos para entrar no prédio da empresa de valores. "Ainda não temos informação de que tipo, mas usaram explosivos, granada não", comentou o policial.

Ainda segundo Pedroso, os assaltantes usaram grampos e pregos para conter a aproximação de viaturas da polícia acionadas para conter a ação dos assaltantes.
"Colocaram diversos pregos para quando a viatura chegasse furassem os pneus, carros da imprensa ficaram danificados, mas viaturas não", disse.


Policiais e moradores do bairro encheram baldes com a munição e os pregos usados pela quadrilha. O material será periciado.

Os suspeitos também atiraram contra dois transformadores de energia na Rua Basílio Gama, o que deixou 2.245 imóveis sem eletricidade, segundo a CPFL Paulista. A empresa informou que às 7h desta terça-feira, 80% do serviço já haviam sido restabelecidos.

A quadrilha fugiu pela Anhanguera e atirou contra dois policiais que faziam patrulhamento pela via, por volta de 5h. Segundo a Polícia Rodoviária, os agentes estacionaram no acostamento, desceram do veículo e deitaram no asfalto, na tentativa de se proteger.

Um deles, de 43 anos, acabou sendo atingido. Ele foi socorrido pela concessionária que administra o trecho, mas não resistiu ao ferimento. O segundo policial não se feriu.
O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) de São Paulo foi chamado para retirar um explosivo que foi deixado pelo grupo dentro do prédio da Prosegur.



G1
Compartilhe: :

0 comentários:

Postar um comentário