Últimas Notícias

Detento é aprovado em 1º lugar em curso de biblioteconomia da UFPB.

Cela foi transformada em sala de aula e biblioteca na Penitenciária de Segurança Máxima Geraldo Beltrão.
O detento Rodrigo Antônio Monteiro, de 38 anos, foi aprovado em primeiro lugar, com média 591,82, para o curso de biblioteconomia na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), através das 14 vagas reservadas para cotistas, por meio da realização do Enem Para Privados de Liberdade (Enem-PPL) em 2016. O detento está preso há cinco anos e cumpre pena de 31 anos por roubo e abuso sexual.

De acordo com o diretor do presídio, João Rosas, o mesmo preso foi aprovado também em primeiro lugar para o curso de Letras no ano anterior, usando a nota do Enem 2015 e através do Sistema de Seleção Unificado (Sisu), mas a burocracia o impediu de fazer o curso presencial.

O preso cumpre pena há dois anos na penitenciária Geraldo Beltrão, mas já passou por outros presídios do sistema carcerário da Paraíba. A penitenciária dispõe de um sistema de ensino, onde uma cela foi transformada em biblioteca e sala de aula, proporcionando a ressocialização através da leitura e do estudo.

Para João Rosas, “a grande questão agora é para tornar esse sonho realizado”, declarou. A direção da penitenciária quer que o detento consiga, pelo menos, fazer o curso de Educação à Distância. Com inscrição para o ProUni realizada, é possível que, desta vez, Rodrigo consiga realizar o sonho do ensino superior.

“De toda forma a gente vai fazer a matrícula dele na quinta-feira, no curso de biblioteconomia”, disse o diretor. A penitenciária agora aguarda a documentação original do detento que deve ser entregue pela família. “Acredito que para o Ensino à Distância vamos conseguir”, ressaltou.

Segundo o diretor, a reação do candidato foi de surpresa, mas também de felicidade, ao ser mais uma vez aprovado, mesmo estando privado da liberdade. “Ele tem muita esperança de, efetivamente, poder cursar”, declarou João Rosas.

Processo de inscrição
A inscrição do detento no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para os Privados de Liberdade é realizada, primeiramente, através de um formulário físico encaminhado em seguida para a coordenadora de educação da Gerência de Ressocialização do Estado. No entanto, no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) quem inscreve é o diretor da penitenciária, João Rosas.

Quando começa o prazo para a escolha do curso, com a divulgação diária das notas de corte, o resultado de cada detento é analisado individualmente e as opções vão sendo verificadas. “Levamos ao conhecimento deles e eles fazem as escolhas”, explicou João.

Mais aprovações
Além do detento aprovado em Biblioteconomia, mais três aprovações aconteceram no sistema penitenciário da Paraíba. Um detento da Penitenciária Raimundo Asfora (Serrotão) foi selecionado para o curso de Letras na Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), com média 659,08. Outro detento, com média 606,52, da Penitenciária Desembargador Flóscolo da Nóbrega (Roger), foi aprovado no curso de Física da UFPB. Dentre os presos aprovados, uma mulher também foi selecionada, com média 616,10, para o curso de pedagogia na UEPB.

O Enem-PPL recebeu 852 inscrição na Paraíba, no entanto, apenas 44 se inscreveram no Sisu. De acordo com a Gerência de Ressocialização do Estado, 24 reeducandos conseguiram atingir nota para certificação do ensino médio. “Para garantir essa certificação é necessário [atingir] 450 pontos em cada área de conhecimento e 500 pontos na redação”, explicou a gerente do órgão, Ziza Maia.



G1

Nenhum comentário