Últimas Notícias

Prefeitura de JP admite infecção generalizada em paciente, mas hospital nega abertura de sindicância.

Agniná Canicrã falou em nome da família
A direção do Instituto Cândida Vargas (ICV) afirmou que vai aguardar o laudo da causa mortis da adolescente Marcela Kaisa, de 15 anos, ocorrida nessa quinta-feira (2), para poder criar uma comissão de sindicância para a apuração do caso. Já a Prefeitura de João Pessoa, em Nota, afirma que a maternidade já está instaurando essa sindicância para tomar todas as providências cabíveis e legais.

A adolescente foi admitida na maternidade às 3h do dia 27 de fevereiro, com início de trabalho de parto. Às 22h59 do mesmo dia teve o parto normal. No entanto, a paciente teve vômito, náuseas e dor abdominal no pós-parto e foi submetida a exames que apontaram infecção. Marcela Kaisa foi encaminhada para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), na tarde dessa quinta-feira (2), onde teve cinco paradas cardíacas e infelizmente foi a óbito no período da noite.

Em entrevista nesta sexta-feira (3), o diretor técnico do Cândida Vargas, Juarez Augusto, afirmou que a paciente recebeu toda a assistência devida e que não foi identificado nenhum caso de negligência, até o momento, por parte da equipe de saúde do hospital. "Por isso, vamos aguardar o laudo do Serviço de Verificação de Óbito (SVO) com a causa mortis para poder abrir uma sindicância", afirmou.

Já os familiares da adolescente, que estiveram na manhã de hoje na maternidade para receber os documentos da paciente, como exames e cópia de prontuário, a paciente foi vítima de negligência médica. "Minha filha chegou ao hospital boa, para ter a filha dela", atestou a mãe de Marcela Kaisa, apresentando documentos que comprovam a realização do pré-natal de Marcela Kaisa, em uma Posto de Saúde da Família (PSF), do bairro do Varadouro, na Capital.   


Um amigo da família de Marcela Kaisa, Agniná Canicrã, disse que a equipe da Cândida Vargas iria dar alta a paciente, apesar das reclamações da adolescente de que não estava se sentindo bem. "Marcela Kaisa chegou a se ajoelhar no chão pedindo para não ser mandada para casa", acrescentou Canicrã.  

Nota da PMJP

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) por meio da direção do Instituto Cândida Vargas (ICV) esclarece que a adolescente, menor de 15 anos, foi admitida na maternidade às 3h do dia 27 de fevereiro, com início de trabalho de parto. Às 22h59 do mesmo dia teve o parto normal com o feto nascido vivo.

A paciente teve o pós-parto com vômito, náuseas e dor abdominal e foi submetida a exames que apontaram infecção. Na tarde desta quinta-feira (2), foi encaminhada para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) onde teve cinco paradas cardíacas e infelizmente foi a óbito.

O corpo da adolescente foi encaminhado para o Serviço de Verificação de Óbito (SVO) e o ICV aguarda o laudo da causa mortis. Enquanto isso, a maternidade está instaurando uma comissão de sindicância para acompanhamento e apuração do caso até a conclusão da causa mortis e dependendo do resultado tomar todas as providências cabíveis e legais.


clickpb

Nenhum comentário