Últimas Notícias

Em novo ciclo paralímpico, Picuiense Maria Luzineide começa preparação e primeiro objetivo é o mundial.


Muita gente não sabe, mas um dos maiores nomes do halterofilismo paralímpico brasileiro vem da Paraíba, mais precisamente de Picuí. Trata-se de Maria Luzineide Santos de Oliveira (foto), atleta que vai foi vice-campeã mundial em sua categoria e que coleciona grandes resultados em sua carreira, como o ouro no evento-teste dos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro, no ano passado.

Maria Luzineide começou sua trajetória no halterofilismo em 2004, mas antes de brilhar no esporte ela superou muita coisa na vida. Logo aos dois anos de idade, sofreu com uma poliomielite (paralisia infantil), doença que limitou seus movimentos com os membros inferiores. Até os 12 anos de idade, a atleta praticamente não andava, mas depois de muito esforço e de cinco cirurgias, consegue andar com auxílio de muletas.

"Foi tudo muito difícil porque sou de uma família humilde e não tínhamos condições de fazer o tratamento. Só que um dia meus pais tomaram a decisão de largar tudo e ir para João Pessoa em busca do meu tratamento. A gente apostou tudo. Meus pais com sete filhos, mas para eles o que importava naquele momento era o meu tratamento. Fomos para a Capital, moramos num barraco de palha, com as paredes de papelão, de barro, sem piso", contou a atleta sobre os momentos de dificuldade.

No esporte, iniciou praticando a natação e estava se saindo bem em algumas competições. Porém, em 2004 recebeu um convite para praticar o halterofilismo e se apaixonou logo de cara. “Fui convidada para fazer um teste e, como gosto de desafios, aceitei e estou no halterofilismo desde então. Hoje sou a sexta melhor atleta do mundo em minha categoria”, contou Luzineide.

Luzineide, que compete na categoria até 45 kg, é recordista brasileira desde 2004. Sua melhor marca pessoal é o levantamento de 87 kg, ou seja, ela usa sua força para levantar quase duas vezes o seu peso corporal.

A paraibana passou muito tempo se dividindo entre trabalho, esporte e seus afazeres como mãe e esposa. Hoje, porém, não precisa mais trabalhar e se dedica exclusivamente ao halterofilismo, já que tem bom auxílio financeiro com os programas Bolsa Atleta do Governo da Paraíba e o Bolsa Atleta do Governo Federal.

Foco agora é o Mundial

Em bom momento, Luzineide se prepara para o maior desafio da temporada: o Campeonato Mundial da modalidade, que será disputado na Cidade do México, entre os dias 29 de setembro e 06 de outubro. E o motivo para a animação são os bons resultados conquistados no ano. Ela foi terceiro lugar na Copa do Mundo realizada na Hungria e ainda faturou duas etapas do Circuito Nacional.

“Estou muito confiante para o Mundial. Hoje sou a sexta melhor atleta do mundo em minha categoria e estou confiante de que vou para brigar por medalha. Estou me preparando com muito foco para competição e um bom soldado tem que estar pronto para a luta”, contou a paraibana.

A preparação de Maria Luzineide vem sendo muito forte para a competição internacional. Com treinamentos de segunda a sábado, a atleta espera chegar muito bem condicionada e busca superar o seu recorde pessoal de levantamento de peso, que atualmente é de 87 kg.

Aos 43 anos, a paraibana de Picuí ainda tem muitos sonhos na carreira. 5º lugar nos Jogos Paralímpicos de Pequim, em 2008, ela tem como objetivo pessoal buscar uma medalha na próxima edição dos Jogos, em Tóquio 2020, para curar a frustração de não ter participado da Rio 2016.

“Como não tenho medalha em Mundial nem em Paralimpíada, esse é meu maior sonho para fechar a carreira com chave de ouro. Não disputei os Jogos no Rio de Janeiro porque estava machucada. Mesmo lesionada, ainda participei das seletivas em busca do índice, mas não consegui. Foi muito difícil para mim porque sempre tive o sonho de representar o país numa competição tão importante e em casa”, finalizou.


Jornal Correio

Nenhum comentário