Últimas Notícias

Nova Palmeira, Cubatí e outros. Municípios menos populosos da PB, receberão nesta sexta-feira (9), 655 mil reais brutos, na 1ª parcela do FPM de fevereiro.


FPM aumenta 14,2% e prefeituras da Paraíba recebem R$ 240 milhões

Cofre cheio no carnaval. O governo federal credita nesta sexta-feira (9), nas contas das 223 prefeituras da Paraíba, o repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), referente ao 1º decêndio do mês, no valor bruto de R$ 240 milhões. Levantamento da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) aponta que a 1ª cota de fevereiro de 2018 comparado com mesmo decêndio de 2017 teve um aumento de 14,22% em termos nominais, ou seja, comparando os valores sem considerar os efeitos da inflação.

Ainda de acordo com o estudo feito pela CNM, o valor deflacionado do repasse do 1º decêndio de fevereiro em relação ao mesmo decêndio de 2017 apresentou um aumento de 11,74% levando em conta as consequências da inflação.

JP e CG

A capital João Pessoa perceberá, nesta sexta-feira, mais de R$ 16,3 milhões brutos, enquanto Campina Grande contará com um reforço orçamentário de R$ 7,2 milhões e Santa Rita, R$ 3,9 milhões. Patos embolsará mais de R$ 3,4 milhões e Bayeux R$ 3,2 milhões. Sousa, Cabedelo e Cajazeiras embolsarão o mesmo valor bruto: R$ 2,6 milhões.

Em relação aos 135 municípios menos populosos da Paraíba, cada prefeitura perceberá R$ 655 mil brutos. Entre eles, estão Alcantil, Aparecida, Boa Vista, Cabaceiras, Caldas Brandão, Cubati, Junco do Seridó, Marcação, Mataraca, Marizópolis, Nova Palmeira, Riachão, São Mamede, Serraria, Sobrado e Zabelê.

Controlar finanças

Em termos nacionais, as prefeituras brasileiras vão receber mais R$ 6,1 bilhões, já descontada a retenção do Fundeb. Em valores brutos, incluindo o Fundeb, o montante é superior a R$ 7,6 bilhões.

Já levando em consideração o valor total repassado aos municípios em janeiro até o 1º decêndio de fevereiro de 2018, pode-se verificar um crescimento de 9,87% em termos nominais em relação ao mesmo período do ano anterior.

Tal crescimento pode sinalizar uma melhora no cenário econômico nacional, mas ainda assim a Confederação Nacional de Municípios (CNM) ressalta a importância dos gestores ter pleno controle das finanças para que cumpram suas obrigações orçamentárias em dia.



JPOnline

Nenhum comentário