Últimas Notícias

Oposição a Picuí: Vereadores reduzem crédito suplementar para 1% e ainda retiram Artigo que previa repasses para o consórcio intermunicipal de saúde.

Programa 'café com o prefeito'

Todos os prefeitos de Picuí sempre governaram com uma margem considerável de suplementação Orçamentária na casa dos 50% que é o remanejamento de orçamento de uma rubrica para outra.

Em 2016 revoltados por ter perdido as eleições, os vereadores que seguem a carta do deputado Buba, reduziram de 50% para 5%, inconformados com a maestria do prefeito de governar com todo arrocho de crise econômica e pressão política, os vereadores reduziram esse orçamento para 1%. Na pratica, essa medida, inviabiliza a gestão do prefeito Olivânio, os efeitos dessa mudança são extremamente prejudiciais ao andamento da máquina pública.

Além de reduzir o orçamento, os vereadores retiraram do projeto de Lei enviado pelo prefeito, o Artigo que previa o pagamento de R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais) anual ao consócio intermunicipal do Curimataú. Atualmente o prefeito havia dobrado os atendimentos no consorcio e eliminado as filas par marcação nos postos de saúde, agora o município ficará impossibilitado de realizar os procedimentos de consulta e exames. Dentre os maiores problemas, a redução proposta pelos vereadores de oposição, poderá deixar servidores sem receber seus vencimentos, tendo em vista, que todos os meses, o prefeito lança um decreto suplementando recursos, visto que nem sempre, os repasses federais ocorrem na mesma data de pagamento dos servidores, principalmente os Agente Comunitários de Saúde e Agente de Combate as Endemias.

Outro agravante é com o crescimento vegetativo da folha de pessoal, com a mudança de nível, bem como com o ingresso de novos servidores.

A medida afetará serviço essencial na saúde, como o pagamento de cirurgias, complementações de exames pactuados pelo sus, na educação, também afetará a alimentação escolar e manutenção dos transportes escolares.

Na infraestrutura, estão comprometidos novas pavimentações com recursos próprios e o ingresso de novos convênios no município.

Esse limite orçamentário, impedirá o prefeito de executar as obras de emendas parlamentares de qualquer natureza na prática, deixará a cidade de Picuí sem possibilidade de governabilidade.

Segundo o prefeito, o ato dos vereadores foi impensado, como eles podem reduzir o orçamento para 1% se nós já passamos desse valor.

Essa atitude demonstra claramente o desejo dos edis, oposição, que são maioria na casa, em prejudicar a gestão do prefeito Olivânio.

Estas informações foram tornadas públicas pelo prefeito Olivânio no programa ‘café com o prefeito’, desta segunda-feira (19), levado ao ar pela rádio comunitária Sisal FM.


Com Assessoria

Nenhum comentário