Últimas Notícias

Caso de extorsão via 'Momo do Whatsapp' é registrado na Paraíba, diz associação.



Jovem foi vítima de um perfil no WhatsApp se passando por 'boneca amaldiçoada' em João Pessoa.

Uma brincadeira da internet, inicialmente criada para assustar, tem sido usada recorrentemente por pessoas mal-intencionadas para incitar violência, suicídio e extorquir pessoas. A "boneca momo" ou "momo do WhatsApp", uma imagem de mulher com olhos esbugalhados e boca deformada, foi registrada na Paraíba. Um caso de extorsão com uso do meme foi registrado oficialmente em João Pessoa.

O coronel da Polícia Militar da Paraíba, Arnaldo Sobrinho, coordenador executivo da Associação Internacional de Prevenção ao Crime Cibernético, relatou que no final de agosto, uma jovem entrou em contato com a associação e informou que havia recebido mensagens de uma pessoa se passando pelo suposto perfil amaldiçoado.

“Uma pessoa que já conhece a associação foi quem me encaminhou a mensagem, os prints, de uma pessoa que utiliza via whatsapp a foto do perfil dessa boneca, batizada ‘boneca momo’, como a vítima era adulta, não resultou em maiores problemas”, comentou o coronel.

Ainda segundo Arnaldo Sobrinho, a jovem fez um contato, resolveu pedir auxílio, mas pediu que não houvesse envolvimento policial por ter medo de alguma represália. “A gente imagina que pessoas de todo tipo têm se aproveitado. A situação é muito parecida com a ‘baleia azul’, que vivemos no ano passado”, comenta o coronel.

Como agem

Segundo investigação feita pela Associação Internacional de Prevenção ao Crime Cibernético, as pessoas que se passam pela boneca momo têm acesso aos números das vítimas por meio de grupos com muitas pessoas no aplicativo de troca de mensagens whatsapp. Ao identificar as vítimas, os criminosos enviam ameaças.

“A pessoa má intencionada tem acesso aos números e subtrai informações, incita suicídios ou práticas de violência, mutilação. Ainda vimos em outros casos pelo Brasil situações de assédio, que pode envolver situação de extorsão”, explicou Arnaldo Sobrinho.

Consequência e alerta

O coordenador executivo da associação explica que essa conduta gera um transtorno físico e psicológico, ainda mais se for um adolescente ou uma criança, que são, a princípio, os principais alvos.

“O alerta principal para pais, responsáveis, é que possam justamente saber com quem seus filhos estão interagindo, por onde estão, e orientar no sentido de qualquer contato suspeito, incitando violência, ameaçando, que possa ser compartilhado com as autoridades de imediato”, indica o coronel Arnaldo Sobrinho.

Ainda de acordo com ele, o caso registrado na Paraíba não foi encaminhado para a Polícia Civil, pois a jovem que fez a denúncia não queria envolvimento com o caso, além de ter medo de represálias. A Associação Internacional de Prevenção ao Crime Cibernético informou que segue monitorando ações supostamente ligadas a “momo do whatsapp”, não só na Paraíba, mas em todo Brasil.


G1

Nenhum comentário