Últimas Notícias

Saúde divulga boletim das arboviroses e alerta para risco de epidemia de dengue.

Imagem da internet

A Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Gerência Executiva de Vigilância em Saúde (GEVS), divulgou, nesta quinta-feira (4), o boletim com as notificações da dengue, zika e chikungunya, com os dados referentes à 12ª Semana Epidemiológica (SE). O documento alerta municípios para risco de epidemia.

Até o último dia 23 de março, foram registrados 1.113 casos prováveis de dengue em 88 municípios (39,4%), da Paraíba. Esses casos representam uma redução de 8,2% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 1.213 casos prováveis. Já a 6ª Região de Saúde (Patos) apresentou aumento expressivo este ano.

Alguns municípios que não acompanharam a redução apresentam uma incidência significativa para 2019 quando comparado ao ano de 2018. Teixeira, Areia e Caaporã atingiram incidência acima de 300 casos por 100 mil habitantes e estão em epidemia. Já o município de Cacimba de Dentro apresenta incidência moderada acima de 200 casos por 100 mil habitantes, mas já sinaliza a necessidade de medidas de controle para o agravo.

Chikungunya - Quanto à chikungunya, foram notificados 163 casos prováveis em 41 municípios (18,4%). Este dado corresponde a uma redução de 15,9% em relação ao mesmo período de 2018, quando foram registrados 194 casos prováveis. Para este agravo apresentou elevação de casos na 5ª Região de Saúde (Sousa).

Zika - Para a doença aguda pelo vírus zika, até o momento, foram notificados 32 casos em 15 municípios, caracterizando uma redução de 28,8% em relação ao mesmo período de 2018, quando foram observados 45 casos prováveis. Na 16ª Região de Saúde (Campina Grande) foi registrado aumento de casos em relação ao mesmo período de 2018.

Óbitos – Até a 12ª Semana Epidemiológica de 2019, foram registradas três notificações com suspeita de causa de óbito de arboviroses. Dois casos (um em Soledade e um em Campina Grande), já foram descartados e o outro (João Pessoa), continua sendo investigado.

Os óbitos suspeitos devem ser informados imediatamente, no período de 24 horas, conforme Portaria Nº 204 de 17 de fevereiro de 2016, a qual está presente na Portaria Consolidada Nº 04, de 28 de setembro de 2017. A suspeita deve ser investigada em nível domiciliar, ambulatorial e hospitalar, utilizando o Protocolo de Investigação de Óbito por Arbovírus Urbano no Brasil – Ministério da Saúde.

Vigilância Ambiental – No período de 26 de fevereiro a 29 de março, deste ano, foram realizados ciclos de aplicação do UBV Pesado (Carro Fumacê) na área litorânea do estado, especialmente nos municípios de João Pessoa, Pitimbu, Caaporã, Mataraca, Lucena, finalizando a programação pós-carnaval e com Teixeira e Sousa em bloqueio devido aumento no número de casos suspeitos das arboviroses, transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti.

Ações - A SES orienta que os municípios intensifiquem as ações, principalmente nesse período intermitente de chuvas e quando há necessidade de armazenar água. As ações devem ser integradas com os setores de Infraestrutura, Limpeza Urbana, Secretaria de Educação e Meio Ambiente, entre outros; sensibilizar a população para eliminar criadouros do mosquito; integração dos ACSs e ACEs no combate aos criadouros de Aedes e na identificação/sinalização dos casos suspeitos.

Confira o boletim aqui


Assessoria

Nenhum comentário