Home » » Empregado de empresário assassinado em João Pessoa participou do crime.

Empregado de empresário assassinado em João Pessoa participou do crime.


A Polícia Civil da Paraíba, por meio do trabalho investigativo da Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio (Roubos e Furtos) de João Pessoa, prendeu na tarde dessa terça-feira (12), Lucas Vinicius Martins dos Santos, de 20 anos, Fabrício Cruz de Araújo, de 26 anos e Luís Pedro Barbosa de Pontes, de 28 anos.

O trio é suspeito do assassinato que teve como vítima o empresário Marcone Moraes, 63 anos, na última segunda-feira (11), no bairro do Bessa, quando o dono de postos de combustíveis foi baleado ao chegar em uma agência do Banco do Brasil.

O empresário teria reagido a um assalto, que resultou em uma troca de tiros com os criminosos. Um deles, identificado até o momento pelo nome de ‘Edgley’ foi atingido com disparo na cabeça e morreu no local.

Marcone Moraes ainda foi levado para o Hospital de Emergência e Trauma, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Em menos de 24h de diligências realizadas pela Polícia Civil, três suspeitos de envolvimento no crime foram presos no bairro São José.

De acordo com a delegada titular da especializada, Júlia Valeska, um dos envolvidos no caso era funcionário da vítima e teria repassado informações para o grupo.

“Quando recebemos as imagens do circuito de câmeras do banco, e cruzamos com várias informações que chegaram ao nosso conhecimento via o número 197- Disque Denúncia da Secretaria da Segurança e da Defesa Social (Seds), entendemos que teria a participação de alguém que sabia como era o procedimento do dono do posto diariamente. Aí conseguimos chegar até um dos autores do assassinato, que foi o Lucas Vinícius, a partir dele encontramos os outros, inclusive o Luís Pedro, frentista de um dos postos do empresário morto”, disse a delegada, acrescentando que ainda existem mais dois envolvidos no crime e que estão foragidos.

O delegado Aldrovilli Grisi, que ficou responsável pelas investigações, afirmou que o caso se trata de uma tentativa de latrocínio, descartando outras versões para a motivação.

Ele explicou também que o grupo criminoso não esperava que o empresário tivesse tanta agilidade na condução da arma de fogo, que ocasionou a morte de um dos integrantes do bando.

O policial ainda frisou que Luís Pedro era frentista em um dos postos de Marcone Moraes há seis meses e já tinha passado por todos os horários dos turnos de trabalho, conhecia a rotina do dono, e sabia como a vítima controlava a movimentação financeira.

“Todos os envolvidos presos confessaram a participação no crime. Compreendemos que o Luís Pedro, também morador do Bairro São José, repassou as informações para o Lucas e para os outros dois foragidos. Informou o veículo e a hora que o empresário sairia. Os criminosos estavam em um carro com placa de restrição de roubo e sabiam que a vítima poderia estar armada, por isso tentaram fazer a ação criminosa muito rapidamente. Na abordagem, Edgley estava com uma pistola e o empresário com um revólver calibre 38. Há a reação da vítima, o que ocasiona a morte do suspeito. A vítima é ferida e também morre. Os outros fogem e capotam o carro, quem os socorre é uma quinta pessoa, que é o Fabrício Cruz, também preso”, detalhou Grisi.

Durante a ação policial, foram apreendidas armas, munições, celulares e ainda grampos que seriam utilizados em uma possível fuga com perseguição policial.

Os presos responderão pelo crime de latrocínio e associação criminosa e serão encaminhados para unidades prisionais, ficando assim à disposição da Justiça.



com Secom/PB
Compartilhe: :

0 comentários:

Postar um comentário