Home » » CEOP realiza a 6ª Caminhada da Paz Pelo Fim da Violência Contra a Mulher, sábado dia 12.

CEOP realiza a 6ª Caminhada da Paz Pelo Fim da Violência Contra a Mulher, sábado dia 12.


A campanha dos 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher surgiu depois do assassinato das irmãs Minerva, Pátria e Maria Tereza ativistas que lutaram pela liberdade política em seu País. Essas mulheres foram brutalmente assassinadas pelo governo do ditador de Rafael Leônidas pelo o simples fato de exigirem a liberdade política para a população residente na República Dominicana.

A campanha é realizada em mais de cem Países, são 16 dias de ativismo para as mulheres das mais diferentes culturas espalhadas em vários Países do mundo, tendo como objetivo o enfrentamento ao fim da violência contra a mulher. No Brasil a campanha se inicia no dia 25 de novembro e encerra no
No Brasil as mulheres continuam sendo violentadas, espancadas, insultadas, agredidas, ou seja, enfrentam todos os tipos de violência e na região do Curimataú e Seridó da Paraíba área de atuação do Centro de Educação de Organização Popular CEOP o direito a vida das mulheres também estão sendo violados no dia a dia.

O Centro de Educação e Organização Popular CEOP mesmo sendo uma entidade mista tem tentado contribuir com a discussão das desigualdades de gênero no seu território de atuação, para tanto, há seis anos vem mobilizando as mulheres da região do Curimataú e Seridó da Paraíba para saírem de suas casas irem as ruas exigir o fim da violência. Assim sendo, a sexta Caminhada da Paz Pelo Fim da Violência Contra a Mulher será realizada neste sábado dia 12 de novembro de 2016, na cidade de Picuí, a partir das 8 h da manhã, vista sua camiseta branca, ou lilás e vamos ocupar as ruas de Picuí na sintonia com as mulheres de todo o planeta, que ainda vivem em situação de violência, vamos exigir que nossos direitos sejam respeitados, que a vida das mulheres não seja negada em nenhum parte do planeta.

A Caminhada da Paz Pelo Fim da Violência Contra a Mulher está na sua sexta edição, esse ano faremos memória aos dez anos da Lei Maria da Penha; continuaremos exigindo que o Estado Brasileiro não subtraia nossos direitos que foram conquistados com muita luta, que as políticas públicas para as mulheres sejam efetivadas na sua plenitude; que a sociedade seja capaz de conviver com as diferenças sem nenhum tipo de feminicídio; sem misoginia e sem homofobia.


CEOP
Compartilhe: :

0 comentários:

Postar um comentário