Últimas Notícias

Água da transposição chega à Paraíba até sábado (11), diz ministro.


As águas da transposição do Rio São Francisco no Eixo Leste vão chegar à cidade de Monteiro, na Paraíba, até o sábado (11). O novo cronograma foi confirmado pelo Ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, no início da tarde desta segunda-feira (6). A água já deveria ter chegado à cidade de Monteiro desde o domingo (5), mas houve atraso depois de um vazamento ocorrido na barragem Barreiro, que fica no município de Sertânia, em Pernambuco.

De acordo com o Ministério da Integração Nacional, no sábado o Presidente da República Michel Temer (PMDB) vai visitar a cidade de Monteiro para inaugurar a obra.

Apesar da inauguração está marcada para o sábado, a água pode chegar à cidade de Monteiro dois dias antes.

Os engenheiros da obra também confirmaram que até a noite desta terça-feira (7), o açude Barreiro – onde ocorreu um vazamento – vai voltar a receber águas da transposição. Esse reservatório fica entre as duas últimas estações elevatórias de água (EBV-5 e EBV-6), antes de chegar a Monteiro.

O vazamento na barragem Barreiros foi registrado na sexta-feira (3). O Ministério da Integração Nacional confirmou que o problema resultou na morte de animais e fez com que algumas famílias fossem retiradas de suas propriedades. O vazamento foi reparado na madrugada do sábado (4).

Caminho das águas
A viagem da água do Eixo Leste da transposição do Rio São Francisco começa na cidade pernambucana de Petrolândia, a 429 quilômetros de Recife. A água é captada na barragem de Itaparica e segue por 208 quilômetros até Monteiro, no Cariri paraibano.

No eixo leste, a água passa por seis estações elevatórias de água, cinco aquedutos, 23 segmentos de canais e ainda 12 reservatórios. A intenção da criação dos reservatórios é beneficiar as comunidades pode onde a transposição passa e também garantir que a água não pare de correr pelos canais, caso seja necessário fazer algum reparo no trecho.

Os 12 reservatórios são: Areais, Braúnas (o maior deles, com capacidade para mais de 14 milhões de metros cúbicos de água), Mandantes, Salgueiro (5,2 milhões de m³), Muquem, Cacimba Nova, Bagres, Copití, Moxotó, Barreiro, Campos (o segundo maior com 8 milhões de m³) e Barro Branco.



G1

Nenhum comentário