Últimas Notícias

Dinheiro da JBS ajudou a eleger cinco deputados federais e um senador da Paraíba.


A JBS, controlada pelos irmãos Joesley e Wesley Batista, contribuíram com a eleição de cinco deputados federais e um senador paraibano, em 2014. Os dados correspondem apenas ao dinheiro declarado oficialmente pelos parlamentares. A lista de quem recebeu dinheiro de caixa 2, reconhecido pela empresa, ainda não foi tornada pública. Entre os paraibanos que teriam recebido propina há três anos está o hoje ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Vital do Rêgo Filho. Ele entrou na quota do PMDB e teria embolsado R$ 8 milhões, de acordo com delação da empresa.

O ranking dos parlamentares paraibanos que receberam maiores doações oficiais é encabeçado por Wellington Roberto (PR). O parlamentar declarou ter recebido R$ 1,1 milhão doados pela JBS para a campanha de 2014. Ao todo, a empresa destinou, em recursos declarados à Justiça Eleitoral, R$ 2,6 milhões. O segundo na bancada a receber mais recursos foi Aguinaldo Ribeiro (PP), com R$ 520,4 mil. Ele foi seguido por Benjamin Maranhão (SD), com R$ 250 mil. Já Efraim Filho (DEM) e Damião Feliciano (PDT) receberam cada um R$ 100 mil. O senador José Maranhão recebeu R$ 600 mil em doações feitas pela empresa, maior produtora de proteína do mundo.

A JBS disse, em delação premiada, ter doado R$ 600 milhões para irrigar as campanhas de 1.829 candidatos de 28 partidos das mais várias siglas. A informação foi repassada pelo diretor da JBS, Ricardo Saud. Com a ajuda da companhia, 179 deputados federais de 19 siglas foram eleitos. O executivo aponta ainda colaborações para 28 senadores da República e 16 governadores. Do montante, ele reforçou, apenas 1R$ 15 milhões não foram repassados como propina.  O restante é “tudo propina”, como Saud afirmou em depoimento.

“É importante a gente trabalhar que desses R$ 500 milhões, quase R$ 600 milhões que estamos falando aqui, praticamente, tirando esses R$ 10, R$ 15 milhões aqui, o resto tudo é propina. Tudo tem ato de ofício, tudo tem promessa, tudo tem alguma coisa. Então eu gostaria de deixar registrado que nós demos propina para 28 partidos. Esse dinheiro foi desmembrado para 1.829 candidatos. Eleitos foram 179 deputados estaduais de 23 estados, 167 deputados federais de 19partidos. Demos propina para 28 senadores da República, sendo que alguns disputaram e perderam eleição para governadores e alguns disputaram a reeleição ou eleição para o Senado. E demos propina para 16 governadores eleitos, sendo quatro do PMDB, quatro do PSDB, três do PT, dois do PSB, um do PP, um do PSD. Foi um estudo que eu fiz, por conta minha (…) Acho que no futuro vai servir. Aqui estão todas as pessoas que receberam propina diretamente ou indiretamente da gente”, disse o diretor da JBS.



Blog do Suetoni

Nenhum comentário