Últimas Notícias

Professor Felipe Tiago Gomes recebeu homenagem post mortem, da CLDF.


A Câmara Legislativa realizou nesta quarta-feira (24), às 19h, sessão solene para homenagear o fundador da Campanha Nacional das Escolas da Comunidade (CNEC), professor Felipe Tiago Gomes, com o título de Cidadão Honorário de Brasília post mortem. A iniciativa foi do deputado Cláudio Abrantes (sem partido).

Segundo o distrital o homenageado, além de ter sido um dos maiores educadores que o Brasil já teve, foi o Fundador da Campanha Nacional das Escolas da Comunidade (CNEC) que mantém instituições de ensino em todo o Brasil. "É uma honra poder homenageá-lo e lembrar o exemplo de cidadão que ele foi para todos. Obrigado a todos os cenecistas e admiradores do professor que prestigiaram o evento", comentou o parlamentar.

Cláudio Abrantes lembrou ainda que Felipe foi integrante da Campanha de Erradicação do Analfabetismo do Estado do Rio de Janeiro, tornando-se, em 1958, diretor do Departamento de Ensino Médio da Secretaria de Educação do Estado do Rio de Janeiro. "Celebramos nesta homenagem a vida deste homem que se doou pela família, pelo país, pelos valores que acreditava. É importante que celebremos esse cidadão, porque, se esse país tem jeito, é pela educação", afirmou o distrital.

Histórico - Felipe Tiago Gomes nasceu em 1º de maio de 1921, no Sítio Barra do Pedro, no Município de Picuí (PB); filho caçula de Elias Gomes Correia e de Dona Ana Maria Gomes. Em 1928, foi alfabetizado por sua irmã Francisca. Concluiu o Curso Ginasial no Colégio Pio XI, em 1940 e ingressou na Faculdade de Direito do Recife em 1944. No ano seguinte foi eleito representante da turma junto ao Diretório da Faculdade. Em 1946 foi nomeado prefeito de Picuí. Foi presidente do Diretório Central dos Estudantes da Universidade de Pernambuco, em 1947 e fundou o Teatro Universitário de Pernambuco.

Formou-se Bacharel em Direito em 1948, dois anos depois tornou-se Integrante da Campanha de Erradicação do Analfabetismo no Estado do Rio de Janeiro e organizou o Movimento Popular de Alfabetização, em 1951. Foi colaborador do Movimento Cívico Contra o Analfabetismo no Estado do Espírito Santo em 1954. Em 1958 foi nomeado Diretor do Departamento de Ensino Médio da Secretaria de Educação do Estado do Rio de Janeiro e em 1960 torna-se membro diretor da Associação Brasileira de Educação. A partir desse momento, passou a dedicar-se exclusivamente as ações da CNEC, que lhe renderam o título de Comendador da Educação Brasileira concedido pelo Ministério da Educação.



*F. Montoro (Coordenadoria de Comunicação Social)

Nenhum comentário