Últimas Notícias

Gêmeos ficam de mãos dadas após parto e comovem equipe médica no Sertão da PB.


A cena de dois irmãos gêmeos de mãos dadas após um parto comoveu a equipe médica da Maternidade Dr. Deodato Cartaxo, em Cajazeiras, no Sertão paraibano, e tem chamado a atenção de internautas em redes sociais. Com poucos dias de vida, João Nícolas e José Natan não gostam de ficar separados e choram se ficarem afastados.

Os gêmeos nasceram na última sexta-feira (26), em Cajazeiras. A mãe é a funcionária pública Marilene Lisboa, 45 anos, moradora do sítio Saco, na zona rural de Triunfo, também no Sertão paraibano. João Nícolas nasceu com 2,1 kg e José Natan anceu com 1,8 kg. Eles passaram por acompanhamento médico, mas nasceram saudáveis e perfeitos.

De acordo com a coordenadora da maternidade Socorro Guedes a cena comoveu toda a equipe que estava de plantão. “Logo após o parto, quando foram levados para o berçário, ao serem separados eles começaram a chorar. Quando colocaram eles juntos, deram as mãos e ficaram quietinhos. Nós até tentamos deixar eles bem acomodados em berços diferentes, mas eles só se acalmavam quando ficavam no mesmo berço”, disse ela.



Gercilene Lisboa, que é filha de Marilene e irmã dos bebês também viu o primeiro contato.

O parto ocorreu por meio uma cirurgia. No domingo (28), a mãe e os bebês receberam alta e foram para casa. Com autorização da família, a foto foi divulgada em uma página de uma rede social do Hospital Regional de Sousa, que fica no mesmo complexo da maternidade. A foto também comoveu internautas e, em menos de 24 horas, teve mais de 500 compartilhamentos.

A mãe conta que não pode ver o momento em que eles ficaram de mãos dadas pela primeira vez, após o parto, porque estava na sala de cirurgia. Mas destaca que já viu o contato outras vezes em casa. “Não querem se largar um minuto. Continuam sempre colocando a mão um por cima do outro, se cheiram. Se separar, eles choram”, disse a mãe.

Outra cena que chamou a atenção da equipe médica, foi quando as crianças foram ser amamentadas pela primeira vez. “Quando separamos eles, começaram a chorar de novo. Eles só conseguiram parar e mamar porque, enquanto a mãe segurava um no peito, uma enfermeira segurava o irmão ao lado, deixando eles encostados. É impressionante”, disse a coordenadora da maternidade.



Em meio a tanto afeto, a mãe fica feliz e segue com um desejo: “Que sejam dois irmãos sempre unidos”.


G1

Nenhum comentário