Home » » Após forjar sequestro, mãe confessa que afogou e esquartejou bebê na BA.

Após forjar sequestro, mãe confessa que afogou e esquartejou bebê na BA.

Mãe matou afogado e em seguida esquartejou o filho de dois meses em Porto Seguro na BA
A babá Renata Cerqueira, que denunciou no sábado (20) o sequestro do filho, em Porto Seguro, no extremo sul da Bahia, confessou à polícia que afogou e esquartejou o bebê de dois meses. Ela foi presa na segunda-feira (22), horas depois de ele ter sido achado dentro de uma panela de pressão, na casa dela.

Inicialmente, a mãe falou em depoimento que a criança morreu afogada em uma banheira. Depois, ela mudou a versão e confessou à policia ter cometido o crime. Renata diz ter matado o filho na tarde de sábado (20), quando afogou em um vaso sanitário e dividiu o corpo da criança em partes.

Segundo a titular da 23ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin), Valéria Chaves, a babá disse que matou o próprio filho porque se sentia cansada de ter que criar a criança sozinha, sem a presença do pai.
"Ela alega que estava muito cansada, porque ela já era babá e tinha a criança. Segundo ela, o pai do bebê não ajudava ela em nada e ainda a pressionava para morar com ele. Ela não queria e ele a impedia de ter outra relação. Por esse motivo ela resolveu matar a criança", afirma Valéria.

Segundo a polícia, Renata conta que, após matar o filho, escondeu partes do corpo em uma panela de pressão e outra em uma sacola plástica, guardada no quarto da mãe que mora com ela. Depois, ela decidiu forjar o sequestro ao contar à polícia sobre o sumiço do bebê.

A polícia chegou a fazer buscas e ouviu testemunhas que disseram ter visto uma mulher saindo da casa no dia do crime. "Pode ter sido uma mulher que passou e ela utilizou isso como um álibi para ela", diz a coordenadora.

Ainda segundo o depoimento, na tarde de segunda-feira, Renata esperou que a mãe saísse de casa, para participar do protesto contra o suposto sumiço do menor, para colocar a panela de pressão com partes do corpo da criança na cozinha.

A mãe do bebê também foi à manifestação e, quando retornaram, a avó da criança percebeu o mau cheiro que vinha da panela, com o corpo em estado de decomposição. A polícia foi acionada e fez buscas na casa pela outra parte do corpo da criança, que acabou encontrada no quarto da avó.

O corpo do bebê foi enterrado no Cemitério Pousada Eterna, no Centro de Porto Seguro, no final da manhã desta terça-feira (23).
Renata responderá pelos crimes de homicídio qualificado, ocultação de cadáver e falsa comunicação de crime, porque relatou o falso sequestro. A polícia não informou o local que ela está detida, mas disse que segue à disposição da Justiça.

Sequestro
Segundo a Polícia Civil, quando denunciou o suposto sequestro do filho, ela contou que a criança estava na sala de casa, dormindo em um carrinho, quando foi levada. Testemunhas informaram à polícia que uma mulher saiu da casa com a criança e fugiu do local em um carro.

Segundo o delegado plantonista Wendel Ferreira, ela contou que estaria nos fundos da casa, lavando roupas, e por conta do barulho do som na casa dos vizinhos, só percebeu o crime quando a avó do bebê chegou na casa e procurou a criança. A criança morava com a mãe. O pai do bebê mora em outro local e já foi ouvido pela polícia, que descartou a participação dele no crime.



G1
Compartilhe: :

0 comentários:

Postar um comentário